Sobre Fotografia

“Fotografia não é nada. É a vida que me
interessa.” – Henri Cartier-Bresson

É inegável que se formos falar apenas sobre o processo físico da fotografia, chegaremos à conclusão que isso nada mais é do que uma imagem que se forma quando a luz (qualquer tipo de luz) atinge uma superfície sensível a luz. Isso independe de qual modo de captação se esteja utilizando. Tanta na fotografia analógica, que utiliza o filme negativo, quanto no meio digital, que utiliza os sensores eletrônicos (CCD ou CMOS), o processo de formação de imagem é o mesmo. Como já se pode imaginar, fotografia é quando a superfície sensível à luz, por um determinado período suficiente para tanto, se transforma ou em uma imagem digital ou num negativo para ser revelado posteriormente.

Certamente a fotografia vai muito além do simples processo acima descrito, assim como não se delimita aos processos físico/químico, e muito menos aos aparatos tecnológicos avançados. Juntam-se a tudo isso saber conhecer, controlar e modificar a luz; o processo de aprendizado do olhar, pois não fotografamos igualmente aquilo que vemos; o uso contínuo de criatividade, pois, sem isso, a fotografia é meramente um reprodutor de imagens; o aprendizado das ideias de composição; saber manusear o equipamento fotográfico corretamente, incluindo máquina fotográfica e lentes; e também, hoje em dia, saber lidar com os editores de imagem. Assim sendo, certamente você poderá produzir uma fotografia melhor e, com certeza, com o tempo e a prática se produzirá fotos ainda melhores.

Não nos esqueçamos de que fotografia também vai além dos processos lógicos, já que é um assunto inteiramente dependente da visão de quem fotográfica. Como mesmo diz David duChemin em seu livro Within the frame: the journey of photographic vision, (sem tradução para o português) “Visão é o começo e o fim da fotografia. Determina como você fotografa e porque. Sem visão, o fotógrafo perece.” Afinal, como sabemos que não fotografamos as coisas assim como as enxergamos – porque obviamente temos dois olhos e a máquina apenas um – é preciso saber o que e como fotografar da melhor maneira. Sem isso, a fotografia apenas terá significado para quem a fez.

ps: Texto originalmente feito para a Apostila Fotográfica para uma Oficina Fotográfica.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s