Cena de um crime

Assim como grande parte dos fotógrafos, eu também busco inspiração no cinema para minhas fotografias. Ângulos, cortes, cenários, paleta de cores e, principalmente, iluminação a favor de uma narrativa são pontos os quais sempre aprecio atentamente.  Não à toa, vira e mexe estou conhecendo e estudando o trabalho de alguns fotógrafos que seguem a mesma linha de raciocínio.  Um dos últimos nomes com o qual eu tive contato, lendo o livro “Fashion as Photograph: Viewing and reviewing images of fashion”, foi o americano Gregory Crewdson que de forma magistral domina essa arte de cenas cinematográficas aplicadas à fotografia. Nas cenas surreais criadas por Crewdson cada elemento tem sua importância e está intrinsecamente se relacionando com estória fotografada.

Na madrugada de ontem, com uma bela dor de estômago e, por isso, meu sono estava comprometido, resolvi criar algo no estilo para passar o tempo, e não ficar fritando de um lado para o outro na cama. Minha inspiração, além de meu sono impedido, foi também a de uma cena de crime [atualizado] dito passional comumente utilizada em filmes policiais, e envolvendo um músico/personagem que foi calado por saber demais.

O esquema de iluminação utilizado na foto é bem simples. A luz principal vinda da janela é de um Softbox acima do campo de visão para não aparecer na cena; a luz que ilumina o criado-mudo com os remédios é de um flash dedicado na mínima potência; a luz no chão que ressalta do chapéu é de uma lanterna; e também existe uma luz suavizada por uma sombrinha branca e translúcida a esquerda e fora do campo de visão para mostrar detalhes que estavam na escuridão. Depois de conseguido o resultado esperado, apliquei apenas alguns filtros para ressaltar e melhorar o contraste das cores.

Anúncios

2 pensamentos sobre “Cena de um crime

  1. Vendo a foto, consigo pensar em você pensando em cada detalhe.
    Muito legal… Parabéns!!!
    Dica: troque o modelo que na próxima ficará ainda melhor, rsss… (só para discontrair).

  2. Valeu, guri. Realmente pensei em cada detalhe para que não deixasse nada passar. E até mesmo modelo tinha de ser eu, porque além de ser uma foto inspirada em trabalho de outro fotógrafo, a imagem é um auto-retrato. Como eu poderia fazer auto-retrato com outra pessoa?

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s